A Dependência do Jogo e os seus Efeitos Comportamentais

A dependência de jogos de azar é um distúrbio de saúde mental grave, que pode ser identificado de duas formas: a pessoa ou a) faz apostas continuamente utilizando dinheiro ou objetos que possam ter valor, embora surjam consequências negativas como resultado, ou, b) não consegue parar de jogar mesmo que o deseje fazer. As pessoas que sofrem de dependência do jogo muitas vezes exibem um forte desejo de apostar numa ampla variedade de jogos de azar -desde jogos desportivos ao poker, a escolher os números do totoloto e jogar dados. E, embora os amigos e familiares dos jogadores compulsivos não vejam sintomas físicos, como costuma acontecer com alcoólicos ou toxicodependentes, as consequências de dependência do jogo têm graves implicações nas suas vidas, assim como nas vidas dos seus amigos e das suas famílias. Não perceber a sua gravidade ou não levar este vício a sério pode ser devastador a longo prazo para o jogador viciado. Os jogadores podem chegar a um ponto em que perdem literalmente tudo, desde carros, casas, empresas, a até mesmo respeito daqueles que eles gostam.

Florida é um “hotspot” bem conhecido por satisfazer o vício dos jogadores de todo o mundo, assim como para os seus residentes. Mas quantos jogadores realmente têm problemas financeiros? Uma investigação recente do Conselho da Florida acerca de Jogo Compulsivo veio lançar luz sobre os jogadores, reportando que 70% destas pessoas tinham problemas em pagar as suas contas. Mas aqui está a pior parte, que se reconhece como sendo um efeito colateral de jogo excessivo — 1 em cada 3 destes jogadores de cartas admitiram ter participado em atividades ilícitas, para financiar o seu vício no jogo. O jogo de cartas não é assim tão inofensivo quanto pensávamos; a atividade criminosa ainda é um motivo de preocupação.

Os viciados em jogos nem sempre dão nas vistas; às vezes eles nem sequer percebem que o são. Eles não pensam que o que perderam foi resultado das suas atividades e comportamentos destrutivos. Em vez disso, os jogadores compulsivos concentram-se somente nos ganhos, ou no suposto aspeto do investimento dos jogos que eles jogam. E ao contrário de drogas ou álcool, uma pessoa viciada em jogos de azar não irá exibir sintomas como muita fadiga, doença, perda de energia ou tonturas; em vez disto, exibem outros sintomas, como ficar com graves problemas financeiros, perda de tempo de qualidade com os que amam, e um aumento da probabilidade de entrar no mundo da droga ou álcool.

É difícil identificar quem tem um problema de jogo e quem não tem. Onde está o limite entre os jogadores sociais e os jogadores compulsivos? Existe algum sinal de alerta? A resposta é sim. Os jogadores patológicos muitas vezes exibem um ou mais dos seguintes sinais: negligenciam os encontros familiares, têm comportamentos criminosos para adquirir mais coisas para apostar, preferem jogar do que sair com os amigos, falam excessivamente acerca dos jogos de azar e de ganhar dinheiro, utilizam drogas ou álcool para distraírem-se de querer jogar mais, tornam-se irritados quando não jogam, negligenciam responsabilidades vitais para terem tempo para jogar, mentem à família e amigos acerca de sair para jogar. Uma combinação destes sinais deve ser um sinal de alerta para identificar um jogador compulsivo. Mas lembra-te, nenhum destes sinais menciona a quantidade de vezes que uma pessoa joga num período de tempo. Não se trata de “quantidade”. Uma pessoa pode jogar todos os dias e isto não afetar a sua vida. Para além disto, não está tudo bem se uma pessoa dependente do jogo for rica; os jogadores ricos também têm problemas como negligenciar os seus entes queridos e outras responsabilidades vitais.

A Florida é conhecida pelos seus casinos, zonas de entretenimento e cruzeiros de jogos de azar. Fatores ambientais como estes podem fazer com que as pessoas sejam mais suscetíveis ao desenvolvimento de dependência de jogos de azar. A dependência de jogos de azar não é um problema que vem só – pode levar a comportamentos criminais, sofrimento psicológico e depressão, e alimentar outras dependências mais perigosas. Como afirmado anteriormente, uma pessoa pode passar a ser dependente de drogas ou álcool, para complementar ou substituir o seu comportamento de jogo. A combinação de várias dependências pode ser devastadora e mais difícil de tratar; seria como ter uma teia de cordas emaranhadas e tentar desemaranhá-las todas ao mesmo tempo.

Os especialistas e conselheiros de dependência utilizam vários métodos no tratamento da dependência do jogo de forma eficaz, incluindo: ajudar o viciado a compreender o que o impulsiona a jogar, substituir os seus hábitos de apostas Euro 2016 com atividades mais produtivas, compreensão de como afeta as pessoas com que eles se preocupam, e finalmente, reforçar a vontade de viver num estilo de vida mais produtivo. Se notares sinais de alerta que tu ou o teu ente querido está a sofrer de dependência de jogos de azar, é fundamental intervir e encontrar tratamento antes que seja tarde demais. Os médicos tratam a dependência do jogo como uma doença cerebral grave, e as pessoas que sofrem com isto também são propensas à dependência em drogas. A importância de efetuar tratamento imediatamente pode fazer a diferença entre perder tudo, e salvar a vida de alguém.